Temas Recorrentes das Fake News: Um Retrato da Credulidade Pública

Publicado por: Feed News
02/04/2024 19:44:10
Exibições: 151
Cortesia Editorial Freepik
Cortesia Editorial Freepik

Explorando os Principais Assuntos e Suas Implicações na Sociedade

 

Uma recente pesquisa conduzida pelo Instituto Locomotiva, obtida exclusivamente pela Agência Brasil, revelou que quase noventa por cento da população brasileira admite ter acreditado em conteúdos falsos em algum momento. O levantamento, realizado entre os dias 15 e 20 de fevereiro e que ouviu 1.032 pessoas com 18 anos ou mais, destaca a prevalência e o impacto das fake news na sociedade contemporânea.

 

Dificuldade na Diferenciação e Temas Recorrentes

Surpreendentemente, apesar da alta incidência de crença em notícias falsas, cerca de 62% dos entrevistados afirmam confiar em sua própria capacidade de discernir entre informações verdadeiras e falsas. Quanto aos temas das fake news acreditadas, destacam-se vendas de produtos (64%), propostas em campanhas eleitorais (63%), políticas públicas (62%), escândalos políticos (62%), economia (57%), segurança pública e sistema penitenciário (51%).

 

Desafios e Riscos da Desinformação

A pesquisa também aponta para os desafios enfrentados devido à disseminação de fake news. Para 65% dos entrevistados, as notícias falsas são distribuídas com a ajuda de robôs e inteligência artificial, enquanto oito em cada dez reconhecem a existência de grupos e pessoas remuneradas para produzir e espalhar conteúdo falso.

 

Impacto na Sociedade e na Política

Um dos maiores riscos identificados pelos brasileiros em relação à desinformação é a eleição de maus políticos, apontada por 26% da população. Além disso, 22% expressam preocupação com o risco de difamação de indivíduos, enquanto 16% mencionam o potencial de causar medo na população em relação à segurança. Outros 12% veem como ameaça principal o comprometimento dos cuidados de saúde.

 

Reações e Reflexões Pessoais

Ser vítima de fake news desperta uma variedade de emoções entre os brasileiros. Enquanto 35% se sentem ingênuos, 31% experimentam raiva e 22% relatam sentir vergonha. Adicionalmente, um quarto da população (24%) já foi acusado de espalhar informações falsas por pessoas com visões de mundo diferentes.

Perspectivas para o Futuro

Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva, destaca a necessidade de medidas educativas para combater a disseminação de conteúdo falso. Ele enfatiza a importância de estratégias públicas que promovam a educação midiática e verificação rigorosa das fontes de informação, visando fortalecer a comunicação do país e garantir o acesso da população a informações precisas e confiáveis.

Vídeos da notícia

Imagens da notícia