LUI apresenta repertório inédito do seu álbum em show homônimo "EU SOU AMOR" | TVSOTEROPOLITANA.com The Mobile Television Network

Nas plataformas digitais a partir desta sexta, 12 de novembro, o primeiro álbum do artista LUI será apresentado ao público em show gratuito no sábado, dia 13, às 19h, na Arena Sesc Senac Pelourinho. Trazendo letr...

musica, show, pelorourinho, lui

LUI apresenta repertório inédito do seu álbum em show homônimo "EU SOU AMOR"

Publicado por: Redação
11/11/2021 17:28:24
Divulgação
Divulgação

Nas plataformas digitais a partir desta sexta, 12 de novembro, o primeiro álbum do artista LUI será apresentado ao público em show gratuito no sábado, dia 13, às 19h, na Arena Sesc Senac Pelourinho. Trazendo letras e melodias que traduzem diálogo potente com outros pares, para cantar sobre homofobia, sorofobia, ancestralidade, afeto e poder, o álbum “EU SOU AMOR” está sendo lançado pelo Selo Candyall Music, do músico Carlinhos Brown, com direção artística de Fred Soares, produção musical de Bruno Michel e participações dos cantores baianos Hiran, Ludmillah Anjos, Dan Vasco e Pugah, além do mineiro Bemti.

 

Os ingressos para o show já estão disponíveis neste link.

 

No repertório, além das músicas autorais, LUI apresenta releituras de canções que asseveram o amor homoafetivo para descortinar preconceitos e estigmas, em hits de artistas LGBTQIAP´+ como Gloria Groove, Pablo Vittar, Johnny Hooker, Rachel Reis, Renato Russo entre outros, para mergulhar na afirmação das narrativas que contrapõe a norma hetero, e questões que ultrapassam a fronteira das minorizações sociais, como é o caso da soropositividade. Utilizando de sua bagagem como ator, LUI também performa durante o show, propondo um jogo de interação com o público, também para falar sobre situações de miséria, estigmatização, descaso, vulnerabilidade e preconceito.

 

Conheça o álbum faixa a faixa - Abrindo o álbum, temos “EU SOU AMOR”, enunciando o que está por vir: o amor em todos os sentidos para todas as línguas e linguagens. Em seguida temos a faixa “AGÔ”, um afrotrap com o artista Pugah, pedindo licença e abrindo caminho para inundar os ouvidos com encanto. Em seguida o álbum traz a faixa “COMIGO NINGUÉM PODE”, um samba-pop-recôncavo que nasceu das folhas do terreiro para trazer a afirmação do seu existir gay. Na terceira faixa, “POSITIVO”, uma manifesto-canção, com participação especial de Dan Vasco, onde expressam a positividade das existências, para desconstruir os muitos estigmas que atravessam os corpos LGBTQIA+.

 

“SAMBIXA”, quinta faixa, traz um pagode eletrônico baiano com Ludmillah Anjos, trazendo como narrativa a evocação do orgulho gay em um swing que promete chegar quente em todos os guetos. Em seguida, LUI e Hiran evocam em “ENREDO” a ancestralidade para intervir sobre seus filhos, protegendo-os de julgamento da sociedade sobre os preconceitos e estigmas, fazendo caminho para a regravação de “PRECISO DIZER QUE TE AMO”, onde faz um feat com o cantor mineiro Bemti, para questionar o posicionamento da imprensa frente aos positivos, em uma citação direta à Revista Caras quando em abril de 1989 expôs Cazuza por ser portador HIV. Complementando esta canção, a vinheta “PRA NÃO ESQUECER”, trazendo afetividade para a lembrança daqueles que nos deixaram defendendo nossos mesmos ideais.

 

Fechando o álbum, “É FODA”, sua música-protesto, iluminando o cotidiano do povo brasileiro fragilizado diante do contexto atual: fome, miséria, corrupção, homofobia, violência contra a mulher, racismo, descaso e vulnerabilidade, dentre outras.  Com EU SOU AMOR, o artista LUI nos faz sintonizar e cantar sobre as nossas vivências através de uma perspectiva de completa afirmação e reconhecimento, de forma visceral, bonita e instigante.

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Vídeos relacionados

Comentários