TV SOTEROPOLITANA lança programa "SAÚDE EM DIA", na estreia: Diabetes | TVSOTEROPOLITANA.com Para Smart TV, PC e Mobiles

SALVADOR (24/12/2016) Da Redação - A emissora multitelas soteropolitana que transmite exclusivamente para dispositivos móveis, lança seu programa voltado a saúde e está produzindo o programa Saúde em Dia.   Na estreia grandes nomes da medicina  especia...

diabetes, glicemia, hipertensão, nutrição, cardiologia, endocrinologistas, glicose, rim, empagliflozina, inibidor, sglt2, pancreas, trigo, pãp

TV SOTEROPOLITANA lança programa "SAÚDE EM DIA", na estreia: Diabetes

Publicado por: Redação
24/12/2016 13:34:32

SALVADOR (24/12/2016) Da Redação - A emissora multitelas soteropolitana que transmite exclusivamente para dispositivos móveis, lança seu programa voltado a saúde e está produzindo o programa "Saúde em Dia".

 

Na estreia grandes nomes da medicina  especializada foram reunidos para tratar de um assunto sério, que lenta e silenciosamente, vem se tornando uma pandemia no Brasil, no mundo em uma escala crescente e assustadora.

 

A Diabetes vem causando dores, cegueira, amputações, sofrimento e nenhuma esperança de mudança do quadro aos portadores da doença.  O problema é silencioso e só provoca sintomas em estágios mais avançados, quando a vida do paciente já está em risco.

 

A Dra. Tainnah Lima, clínica geral da Prefeitura de Caruaru, Dra. Luciana Marins, Cirurgiã Vascular, da Clínica Vascular do Agreste, Ana Paula Albuquerque, (enfermeira chefe no CMEM II, da prefeitura Municipal de Caruaru, Doutoranda em enfermagem e mestre em Hebiatria,  a parte da medicina que cuida dos adolescentes) entre outros convidados que participam do programa. Profissionais de Saúde de Salvador estão sendo convidados a participarem do programa.

 

 

Por comprometer os vasos sanguíneos, o açúcar em excesso é capaz de provocar danos em órgãos e tecidos do corpo inteiro. No entanto, o problema só costuma dar sinais quando já atingiu estágios mais avançados, em que os prejuízos são críticos.

 

Para se ter uma ideia, cerca de metade dos óbitos em pacientes diabéticos se devem a problemas cardiovasculares, como infarto e AVC, segundo a International Diabetes Federation (IDF). No entanto, somente 3% desses indivíduos temem as consequências cardíacas da doença, segundo uma pesquisa recente da Sociedade Brasileira de Diabetes, em parceria com o Ibope Inteligência. Além disso, aproximadamente 40% dos diabéticos desenvolvem problemas nos rins, o que, em casos extremos, pode evoluir para a necessidade de diálise. Mas só 6% deles têm receio de apresentar essa complicação.

 

O Nordeste foi a única região brasileira a apresentar aumento de 13,77% nos índices de mortalidade por doenças cardiovasculares, segundo um levantamento da Fiocruz, Ministério da Saúde e universidades.  Por conta disso, especialistas da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) apontam que o diabetes tem um papel expressivo nesse crescimento junto com a hipertensão.

 

Dados da SBD apontam que aproximadamente metade dos pacientes com diabetes tipo 2 (46,3%) desconhecem sua condição, por se tratar de uma doença com poucos sintomas, o que os torna vulneráveis às suas consequências cardiovasculares e renais.

 

Entre os diversos riscos decorrentes do diabetes, estão os relacionados aos olhos, como a retinopatia diabética. Silenciosa no início, a doença é uma das principais causas de cegueira definitiva no mundo. Seu principal sintoma é a baixa visão, por alteração dos vasos retinianos e formação de vasos irregulares, que sangram com facilidade dentro do olho.

  

“O paciente diabético apresenta um nível de açúcar no sangue mais alto que o normal, e isso acaba danificando os vasos sanguíneos. São essas lesões nos vasos que geram complicações em vários órgãos. Nos olhos, causam micro hemorragias e micro obstruções, resultando na perda progressiva da visão”, explica o Dr. Ramon Antunes de Oliveira, especialista em retina

 

Portanto, a única forma de evitar tais consequências é consultar o médico regularmente, para que ele faça o diagnóstico precocemente e estabeleça uma rotina de tratamento, a fim de manter as taxas de açúcar dentro dos parâmetros normais. Lembre-se, Diabetes não avisa, se instala.


Comentários