Voce sabe o que é Vaginismo? | TVSOTEROPOLITANA.com Mobile Television Network

Por Pietro Becker Acompanhante profissional10 de jul.   Esta semana atendi uma cliente que simplesmente não conseguia ser penetrada. Eu sequer tentei, pois já sabia do que se tratava, e então ficamos só em longas preliminares.   O ex marido dela, entr...

ginecologia, vaginite, vulvovaginite, vaginose, infecção

Voce sabe o que é Vaginismo?

Publicado por: Redação
18/10/2021 11:00:58
Cortesia Pexels/iStock
Cortesia Pexels/iStock

Esta semana atendi uma cliente que simplesmente não conseguia ser penetrada. Eu sequer tentei, pois já sabia do que se tratava, e então ficamos só em longas preliminares.

 

O ex marido dela, entretanto, não compreendia o que se passava e acabou terminando o relacionamento extremamente frustrado (nas palavras dela) pela falta de sexo com penetração.

 

Ela possui vaginismo, e o fato desse ser um problema que atinge entre 1 e 6 por cento das mulheres é o motivo que me leva a crer que deveríamos comentar mais a respeito.

 

O vaginismo consiste no "espasmo involuntário da musculatura do terço externo da vagina", o que significa que a mulher que carrega este problema sente um desconforto extremo em ser penetrada, bastando uma tentativa de penetração para contrair (involuntariamente) a musculatura vaginal.

 

Essa contração cria uma barreira física a entrada de qualquer elemento (seja o pênis ou mesmo um kit de exames papanicolau) e a insistência na penetração traz a dor. Além disso, conforme a mulher sente dor, tende a contrair ainda mais os músculos da pelve e isso piora a situação: é o ciclo vicioso do vaginismo.

O vaginismo é curável, mas o fato de muitas mulheres sequer saberem do que se trata impede o diagnóstico e o tratamento adequado. Isso, aliado a necessidade masculina de sexo com penetração, faz com que as pessoas com este problema tenham dificuldades em relacionamentos como um todo (não só sexuais).

 

Se você sofre com algo semelhante, busque ajuda de um ginecologista.

 

Se sua parceira passa por isso durante as relações, converse sobre isso com ela e, até o tratamento, invista em práticas não penetrativas durante o sexo.

Originalmente Publicado por: QUORA

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários