Quem precisa dar o exemplo | TVSOTEROPOLITANA.com Para Dispositivos Moveis

Carlos Brickmann (26 de fevereiro) Beleza a festa pré-carnavalesca oferecida pelo governador baiano Rui Costa a convidados selecionados. Boa comida, boa bebida, salões decorados com esmero, gente de traje esporte fino, gente de black...

artigo, reportagem, documentário, vídeo, notas, colunista, opinião, critica, jornalismo, vídeos

Quem precisa dar o exemplo

Publicado por: Redação
26/02/2020 06:00:00
Courtesy Pixabay
Courtesy Pixabay

Carlos Brickmann (26 de fevereiro)

Beleza a festa pré-carnavalesca oferecida pelo governador baiano Rui Costa a convidados selecionados. Boa comida, boa bebida, salões decorados com esmero, gente de traje esporte fino, gente de black-tie (em Salvador, no verão!) Beleza! Mas há seis anos o funcionalismo público da Bahia não tem reajuste, oito colégios estaduais foram fechados por questões de economia. Claro, por mais luxuosa que tenha sido a festa, o que se gastou com ela não seria suficiente para resolver nenhum dos problemas do Governo estadual. Verdade. Só que o exemplo só pode vir de cima. Se as Excelências gastam à vontade, que recado estão passando ao povo?

 

Não é só a festa baiana. Os ministros do Supremo poderiam deixar de comer lagosta e tomar vinhos premiados que isso não faria diferença no orçamento da União. Da mesma forma, o custo do plano de saúde do Senado (é vitalício, vale também para ex-senadores, dá cobertura total, sem limite, extensiva a cônjuges e a filhos e enteados até 33 anos de idade) não ajudaria a cobrir o déficit público. Mas mostra que no Brasil o privilégio é sagrado.

 

Durante a Segunda Guerra, com Londres sob bombardeio, o rei George 6º insistiu em ficar na cidade, com a família. Sua filha Elizabeth, hoje rainha, trabalhou como enfermeira. A Coroa deu seu recado: lutaremos até a vitória. 

 

Ninguém quer ver os governantes passando necessidades. Mas é preciso dar tanta festa, com tantos funcionários, com tantos carros? Respeitem-nos!

 

Exemplo é exemplo

Harry S. Truman, presidente americano na época da vitória na 2ª Guerra, não tinha poupanças ao deixar o poder. Foi então que o Congresso autorizou uma pensão para os ex-presidentes. Conta-se que, ao passar o cargo, Truman recusou o carro oficial que o levaria ao aeroporto, por não ser mais presidente, e, pelo mesmo motivo, rejeitou o avião posto à sua disposição. Foi ao aeroporto de táxi e comprou passagem de volta para seu Estado.

 

O salário policial

A Polícia Militar do Ceará está amotinada, e há articulações em outros 12 Estados para iniciar movimentos semelhantes. Greve de agentes armados já é ilegal; motim é de extravagante ilegalidade. Mas há outra questão: salário. Os PMs ganham mal, a Polícia Civil ganha pior ainda. E falta equipamento essencial: não há coletes suficientes à prova de bala, parte dos que existem está com validade vencida. Como convencer policiais, civis ou militares, de que não há mesmo recursos para eles, se Executivo, Legislativo e Judiciário não têm problema de verbas? Claro, se a mordomia fosse reduzida a zero, a economia não daria para resolver todos os problemas de equipamento e salário da Polícia; mas haveria a convicção de que o problema era de todos. Mas como falar nisso quando o pessoal de cima tem penduricalhos e não vê qualquer obstáculo para ganhar mais que o teto constitucional, que seria o de ministro do Supremo Tribunal Federal? Se “eles” podem, por que “nós” não?

 

Apenas como complemento: São Paulo, o Estado mais rico da Federação, paga aos policiais civis o salário mais baixo do país.

 

Epidemia e economia

As bolsas caíram no mundo inteiro (e caíram muito) diante das notícias de que o número de pessoas infectadas por coronavírus continua crescendo. Não é só o número: carros coreanos dependem de peças chinesas, a Apple, uma das empresas mais valiosas do mundo, depende da produção da China, o Brasil exporta pesadamente para a China (importa pesadamente, também).

 

Na segunda-feira, o índice Dow Jones americano caiu 1.031 pontos, a segunda maior queda de sua história de 124 anos; e na terça caiu mais um pouco. Os recibos brasileiros (ADR) também caíram mais de mil pontos. Espera-se que hoje ocorra uma recuperação parcial das principais bolsas.

 

Palavra de especialista

O investidor Warren Buffet, um dos homens mais ricos do mundo, diz que a doença não afetou suas perspectivas econômicas a longo prazo. Seu conselho aos investidores: não comprem nem vendam ações com base nas manchetes dos jornais. Buffet dirige a gigante Berkshire Hathaway. Entre outras coisas, tem pouco mais de 5% da Apple e é sócio de Jorge Paulo Lehman em empresas como AB Inbev, Heinz e Burger King.

 

A má notícia

As estimativas são de que na China haja 78 mil pessoas contaminadas, e que 2.663 mortes já tenham ocorrido. Na Coréia, há 977 casos, com dez mortes. Na Itália, são 283 casos, sete mortes e onze cidades sob quarentena.

 

A boa notícia

O presidente Donald Trump pediu ao Congresso US$ 2,5 bilhões para o combate ao coronavírus. Destes, US$ 1 bilhão se destinam a desenvolver a vacina. Trump disse na Índia que, nos EUA, a doença está sob controle, que os americanos contaminados se recuperam e que a produção da vacina está próxima. Mas, se estivesse próxima, haveria tempo para gastar US$ 1 bilhão?  

      

COMENTEcarlos@brickmann.com.br

Twitter@CarlosBrickmann

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Noticias

Vídeos relacionados